12:09:00


Minha forma de escrever



Depois de muito tempo nessa peleja da vida que eu fui perceber a individualidade de cada um para escrever, pude enxergar a diferença entre a dissertação de uma descrição, um conto não significa a mesma coisa que uma crônica,eu pude ver.
Tem autores que me identifico Clarice,Martha Medeiros,Cecília,Fernando Pessoa, mas aquele que combina comigo é o Mário Quintana.
Eu poderia gastar meu tempo lendo-os,mas é complicado.
Os livros não são tão fáceis de encontrar e eu,acabo me acomodando.
Na verdade não faço tudo que eu poderia fazer do meu tempo.
A minha forma de escrever pode me definir,muito pontos,muitos espaços,frases curtas e de certa forma até inconstância de seguir uma regra.
Acho que agora posso assumir que não conheço na íntegra a forma da escrita correta.
Sei que a clareza e a falta de repeticões são importantes, mas cometo falhas,muitas falhas!
Gosto de frases de efeito,de textos filosóficos,da simplicidade,da loucura,da verdade.
Aprecio a diversidade,defendo meu ideal e o direito de você falar o seu, minha paixão é a surpresa!
Se um texto me surpreende,ele vai ficar pra sempre na memória,fazendo-se lembrar todas a vezes que eu ver algo parecido com aquilo que li.
Falo sobre pessoas,vivências,gosto de homenagear, de deixar amigos felizes.
A minha forma de escrever pode até ser parecida com qualquer outra,mas em algum ponto,ou espaço, você que está me lendo agora,vai encontrar minha individualidade.
Isso me faz escrever sempre mais,mil textos,poesias,músicas sem melodias.
Me faz querer ser importante,ser lembrada, como Mario Quintana,sempre presente na minha vida!



"Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós."

(algo escrito em um comentário de Livia)

You Might Also Like

0 comentários