com que cara eu vou agora?

16:42:00

E todas as vezes que eu deixei a razão escapar pelos dedos  derradeiramente senti medo.

Quando expomos nossas fraquezas sentimentais é como um super- herói perder os seus poderes. O corpo parece mais frágil e todos os olhares críticos se voltam para o seu erro, você fica pequenino, recuado. Um cachorrinho no meio da chuva fria. Se você for sentimental demais, vai chorar. Se for explosiva, vai xingar, gritar. Se for os dois, vai fazer tudo, chorar, xingar, gritar. E esse é o meu caso.

A verdade é que nunca gostei de expor para os olhares sorrateiros a minha falta de razão, ou melhor, a minha loucura, ou fraqueza, não sei. Não gosto. Porque cinco segundos depois do ato falho, vem o enorme arrependimento por ter colocado na mesa a minha cara de palhaça limpa, no ponto de bala de ser pintada pelo público presente. Na garganta vem o grito de : Dane-se. Mas ele não sai, pelo contrário, me sufoca. Eu vou embora com cara de maluca, de chata, sem expor a minha opinião, sem razão e com vergonha. Acuada.

E nesses dias falhos o breve resumo: Chego em casa, olho pro espelho, a essa altura a maquiagem já está borrada, a raiva estampada e o sonoro ‘Merdaa’ sai da minha boca. Mas esse merda é para mim. Perdi mais uma oportunidade de parecer uma pessoa equilibrada,  perco a festa e saio com fama de chata.  Não sei sai a francesa, não sei chegar de fininho. No outro dia, acordo com ressaca moral, prometo mudar e pulo da cama.

Exposição desnecessária? Sinceramente eu não sei, porque por mais feio que seja, eu fui de verdade. Engasguei-me com a raiva e sai bufando, mas não deixei a vida fazer da minha cara paisagem ou deixei a galera sambar em minha opinião. Quando tiver que parecer fraca para depois me senti mais forte eu vou fazer. Prefiro dormir arrependida do que com vontade.

You Might Also Like

1 comentários

  1. Vai! Vai! Vai!
    E grita ao mundo
    Que você está certo
    Você aprendeu tudo
    Enquanto estava mudo
    Agora é necessário
    Gritar e cantar Rock
    E demonstrar o teorema da vida
    E os macetes do xadrez
    Do xadrez!...
    Você tem as respostas
    Das perguntas
    Resolveu as equações
    Que não sabia
    E já não tem mais nada
    O que fazer a não ser
    Verdades e verdades
    Mais verdades e verdades
    Para me dizer
    A declarar!...
    Tudo o que tinha
    Que ser chorado
    Já foi chorado
    Você já cumpriu
    Os doze trabalhos
    Reescreveu livros
    Dos séculos passados
    Assinou duplicatas
    Inventou baralhos...
    Passeou de dia
    E dormiu de noite
    Consertou vitrolas
    Para ouvir música
    Sabe trechos da Bíblia de cor
    Sabe receitas mágicas de amor...
    Conhece em Marte
    Um amigo antigo lavrador
    Que te ensinou a ter
    Do bom e do melhor
    Do melhor!...
    Mas o que você
    Não sabe por inteiro
    É como ganhar dinheiro
    Mas isso é fácil
    E você não vai parar
    Você não tem perguntas
    Prá fazer
    Porque só tem verdades
    Prá dizer
    A declarar!...

    Loteria de babilonia - Raul Seixas

    ResponderExcluir