a partir do ano dois mil, poetas e vida.

14:21:00



Antes de escrever um texto eu sempre procuro o significado exato das principais palavras que vou usar no construir das frases. No caso deste texto, procurei pela palavra JUVENTUDE. O significado como na maioria das vezes não condiz com a intensidade que a palavra pode causar.
Sei que no meu blog falar sobre o tempo e as consequencias avassaladoras que ele causa é um tanto quanto batido. Mas não sei controlar minha inspiração. Lendo o livro ' O Retrato de Dorian Gray' de Oscar Wilde que fala por meio de um romance sobre como o tempo é devastador, e como verdadeiramente a arte é a maneira mais pura para se eternizar alguma coisa, penso em como isto é fato.
Parece que foi ontem que chegou o ano 2000 e eu passei a fazer a conta de anos por ele, já que era mais fácil, e do ano 2000 já se passaram uma década.
Um década de intensas mudanças, não só na minha vida, mas com certeza na tua vida e mais ainda no planeta.
E para não fugir do tema principal, a juventude. Percebo como esta seja uma coisa rara, porque ser jovem vai além de um número na idade, tem muito mais a ver com alma, espírito, essas coisas, que já foram ditas, que você já sabe.
É, meu sincero sentimento sobre ser jovem é o medo de não sê-lo. Na quero ter que passar pela vida e deixar fases e coisas por viver, por fazer, não quero ter que cantar a música Epitáfio como um hino sobre a minha vida. Sei também que não vou ser exatamente Cazuza, porque não condiz com o que eu sou, mas quero cantar Vinte poucos anos de Fábio Jr. com a certeza de que fiz o que pude, e principalmente fiz o que eu quis.
Usei todas essas palavras para tentar falar o quanto é realmente importante você tomar posse da tua vida, e fazer dela o que deseja, realizando sonhos, respirando fundo e indo um tanto quanto mais além do que normalmente vão.
Viver são coisas que muitos poetas já falaram e outras coisas que ninguém nunca vai conseguir dizer, e eu, uma simples mortal, digo, viver é muito bom. Intenso, uma experiência única.
Juventude...não sei mais o que dizer, o mais importante, é vivê-la, mas só irei poder falar com mais verdade sobre ela, quando ela não me pertencer mais como hoje pertence.

You Might Also Like

3 comentários

  1. Oi! adorei o blog e seu texto, eu penso muito parecido com você e as vezes me pergunto se não estou desperdiçando minha vida em uma universidade, seguindo um modelo, enquanto poderia estar fazendo tantas coisas que me tornariam mais feliz.
    gostei e voltarei, beijos!

    ResponderExcluir
  2. Pois eu quero que ela faça sempre parte de mim. Pois não acredito que juventude seja, apenas, uma fase da vida, mas um estado de espírito...

    Belas palavras, moçinha!
    Que seja um ano bom para todos nós!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. assim como a Kari, quero que a juventude sempre faça parte de mim, mesmo que um dia eu mude esteticamente..
    aah..concordo com o último paragrafo, é mais ou menos a coisa de dar mais valor ao que agente já perdeu..

    beijoos floor*

    ResponderExcluir